top of page

FOGO AMIGO: está na hora de prevenir incêndios florestais e aumentar a lucratividade agrícola

O fogo usado de forma segura e adequada é um amigo do proprietário rural na gestão de seu agronegócio. Estamos a um mês do início da temporada de incêndios florestais no Brasil (junho-novembro). Está na hora de usar o fogo amigo para evitar prejuízos causados por incêndios florestais e para gerar benefícios para o agronegócio.




José Rente Nascimento[i]


Os incêndios florestais são um problema ambiental e econômico sério que pode causar danos catastróficos às propriedades rurais e ao meio ambiente. Além de prejudicar a flora e fauna, podem afetar a produtividade e lucratividade do agronegócio, bem como a segurança das pessoas e animais envolvidos. Diante desse cenário, o uso controlado e seguro do fogo surge como uma solução promissora, capaz de evitar a ocorrência de incêndios florestais e ainda melhorar a produção e a produtividade do solo. Esta nota tem como objetivo sensibilizar proprietários rurais e autoridades governamentais sobre a importância de investir no conhecimento e na aplicação adequada do uso do fogo para prevenir prejuízos catastróficos e obter melhores resultados no agronegócio.


Em primeiro lugar, o uso do fogo amigo na propriedade rural é uma forma de evitar prejuízos causados por incêndios florestais que resultam em danos, perdas ou prejuízos catastróficos ao destruírem plantações, pastagens, vegetação natural, equipamentos, máquinas, edificações, cercas e que podem requerer gastos substanciais para restaurar as condições anteriores ou para dar continuidade às atividades desenvolvidas na propriedade. Além disso, incêndios florestais também podem causar morte ou sequelas em pessoas e animais domésticos e silvestres, além de gerar erosão do solo e diminuir a produtividade da terra.


Em segundo lugar, o uso controlado e seguro do fogo pode trazer benefícios para o manejo sustentável da propriedade como melhorar a produção, produtividade e lucratividade do seu agronegócio. Com o uso do fogo prescrito, por exemplo, é possível limpar terrenos, produzir biocarvão e aumentar a fertilidade e produtividade do solo.


Aqui se busca motivar as autoridades governamentais e, especialmente, os proprietários rurais sobre a importância de investir para ampliar e aplicar o conhecimento do produtor rural sobre o uso do fogo de forma segura e técnica e legalmente adequadas para evitar a ocorrência de incêndios florestais e diminuir os prejuízos catastróficos daqueles que eventualmente ocorram além de melhorar a produção, a produtividade e obter melhores resultados do seu agronegócio.


Manejaro Fogo Evita Prejuízos Causados por Incêndios Florestais


O fogo que ocorre numa propriedade rural pode ser controlado ou descontrolado. O fogo descontrolado é denominado incêndio florestal quando a vegetação na propriedade é queimada. Um incêndio pode ter muitas consequências adversas para o dono da propriedade resultando em prejuízos que podem ser substanciais ou mesmo catastróficos com perdas e danos materiais, vítimas, e gastos para recuperação das condições anteriores ou para dar continuidade às atividades desenvolvidas na propriedade.


Por outro lado, o fogo controlado é uma importante ferramenta que traz consequências positivas e auxilia o manejo sustentável e mais lucrativo da propriedade.


A Figura 1 apresenta as relações causais entre um incêndio florestal e seus principais prejuízos e outras consequências para o dono de uma propriedade rural.


Incêndios florestais podem destruir plantações, pastagens e vegetação natural, equipamentos e máquinas, edificações, cercas, etc. Eles também podem matar ou sequelar pessoas, animais domésticos e a fauna silvestre queimados ou como consequência da inspiração de fumaça.


Figura 1 – Prejuízos causados pelos incêndios florestais nas propriedades rurais.




Os incêndios de forte intensidade degradam o solo gerando erosão e escoamento superficial o que diminui a produtividade do solo e reduz a produção futura de plantações, pastagens, ou vegetação natural e dos animais domésticos ou silvestres que delas alimentam-se.


A água das chuvas que escorre pela superfície e o solo com ela removido, arrastado e depositado em outras áreas, além de diminuírem a produtividade e produção nos locais de onde saíram, diminuem os serviços ambientais das águas subterrâneas ou superficiais em bacias hidrográficas como os de armazenar, produzir água de melhor qualidade e disponibilização no tempo.


Mesmo um incêndio florestal, com toda a destruição que causa, pode produzir alguns benefícios. Ele reduz a quantidade de vegetação que serviu de combustível para o fogo e, assim, diminui a probabilidade de ocorrência de um incêndio de grande intensidade no futuro próximo.


O uso do fogo de forma controlada e segura, entretanto, pode trazer benefícios para o manejo sustentável da propriedade rural.


Manejar o Fogo Gera Benefícios


O fogo tem uma longa história de uso pelo homem no manejo da terra. Ele usa o fogo há milhares de anos para limpar terrenos recém desmatados, para abrir espaço para os cultivos e para aumentar a fertilidade e produtividade do solo resultando em uma maior produção. Os benefícios do uso do controlado e seguro do fogo no manejo sustentável da propriedade rural são ilustrados na Figura 2.


Os benefícios da limpeza do terreno com o fogo passam pela produção e utilização do biocarvão, ou carvão vegetal usado para melhorar o solo. Esse produto da queima da biomassa melhora a produtividade do solo por que aumenta a retenção da umidade e disponibilidade de nutrientes. Além disso, o biocarvão incorpora o gás carbônico ao solo contribuindo para redução desse gás de efeito estufa.


Figura 2–Benefícios do uso do fogo como ferramenta na propriedade rural.

O biocarvão tem um papel importante na regeneração da vegetação das áreas queimadas pelos mesmos motivos que melhora o solo aumentando a produtividade das atividades agropecuárias e florestais. A nova vegetação que se estabelece serve também para alimentação de animais silvestres favorecendo a reintrodução da fauna na área.


O fogo ainda é usado frequentemente na propriedade para o controle mais eficiente de pragas, doenças, e de plantas invasoras ou daninhas. Esse controle geralmente envolve medidas como uso de fungicidas, rotação de culturas e seleção de plantas resistentes. Já o controle de plantas invasoras ou daninhas pode ser realizado através do uso de herbicidas, controle mecânico ou manual. Entretanto, o uso do fogo controlado gera economia de mão de obra e de químicos o que o faz uma solução mais lucrativa para garantir a saúde e produtividade das plantações, contribuindo para o sucesso da produção agrícola.


O uso da ferramenta fogo para limpeza do terreno também reduz a necessidade de mão de obra e máquinas frequentemente usadas em outros métodos.


O uso do fogo para reduzir a biomassa combustível modifica o comportamento de um eventual incêndio e reduz o risco de prejuízo por perdas e danos ao diminuir a probabilidade de ocorrência de um evento de grandes proporções. Assim evitam-se prejuízos com cercas queimadas, edificações destruídas, morte de animais domésticos, e máquinas e equipamentos danificados.


O fogo bem manejado reduz as mortes da fauna silvestre, a entrada na propriedade de incêndios originados em vizinhos, as emissões de CO2 e a poluição por fumaça com suas consequências para a saúde.


O uso de fogo na propriedade pode reduzir os riscos de prejuízos ao proprietário por perdas e danos causados por incêndio florestal ao diminuir a probabilidade de ignição da biomassa combustível e a vulnerabilidade dos bens e serviços existentes na propriedade.


Por último, a queima da vegetação acumulada permite o surgimento de brotos e a germinação de sementes de algumas espécies de plantas que necessitam do fogo para nascerem e servem de alimento para animais domésticos e a fauna silvestre.



Está na hora de agir


O manejo do fogo em propriedades rurais é essencial para evitar prejuízos causados por incêndios florestais e também para ampliar benefícios no agronegócio. Os incêndios florestais podem causar prejuízos catastróficos, como perdas e danos materiais, vítimas e gastos para recuperação das condições anteriores ou para dar continuidade às atividades desenvolvidas na propriedade. Além disso, eles podem degradar o solo, gerando erosão e escoamento superficial, e diminuir a produtividade futura.


Por outro lado, o uso oportuno, controlado e seguro do fogo pode trazer benefícios para o manejo sustentável da propriedade, como melhorar a produção, produtividade e lucratividade.

Os proprietários devem considerar os custos e benefícios das atividades manejo do fogo em propriedades rurais a serem realizadas para adotar medidas eficientes, eficazes e efetivas. O investimento do produtor rural para ampliar e aplicar o conhecimento sobre como usar o fogo de forma adequada e segura para evitar a ocorrência de incêndios florestais, diminuir os prejuízos daqueles que eventualmente ocorram e melhorar a produção, produtividade e lucratividade em sua propriedade é frequentemente um bom negócio.


O fogo assim usado é um bom amigo do produtor rural.


Está na hora de usá-lo.


Folheto preparado com base em: Nascimento, José Rente, 2023. O fogo e a gestão da propriedade rural: como evitar prejuízos e gerar benefícios. Série Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento 1/2023. Instituto Fórum do Futuro. Disponível em https://tinyurl.com/mr3z4yew


[i]Engenheiro florestal, M. Plan., Ph.D. Consultor.

30 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page