Painel discute instrumentos que influenciam a relação entre produtores e consumidores

Atualizado: 22 de set. de 2021



Diálogo entre esses grupos é fundamental para o desenvolvimento sustentável

A relação entre ciência e sociedade é uma pauta corriqueira no dia a dia do Brasil, seja em ambiente acadêmico ou mesmo em conversas informais. Pensando nisso, a relação de confiança e credibilidade entre produtores rurais e consumidores foi o tema do painel “Rastreabilidade, Monitoramento e Cidadania – Certificação e Transparência como Ferramenta dos Negócios Sustentáveis – Construção dos Indicadores Amplos de Sustentabilidade”, no “Seminário Internacional Os Desafios da Ciência em Novo Pacto Global do Alimento”, promovido pelo Instituto Fórum do Futuro.

O representante do Fórum do Futuro e moderador do debate, Pedro Abel, destacou dois pontos-chave na história da humanidade que deram origem às relações que conhecemos hoje. “O primeiro grande avanço da humanidade foi a cognição, a relação entre os homens. Outro grande avanço foi a agricultura, que possibilitou ao homem viver em comunidades, em sociedade”.

A partir disso, Abel estabeleceu que confiança e reputação são as bases das relações sociais e que os atritos causados quando se quebra esse princípio permitiram que fossem desenvolvidos métodos e parâmetros para o restabelecimento dessa confiança. “A ciência é extremamente importante para essa geração de confiança, que é um dos pilares da vida em sociedade”.

Instrumentos complexos

Rastreabilidade, monitoramento e certificação no agro são soluções que emanam da sociedade e do mercado para a questão do diálogo entre consumidores e produtores, de acordo com o economista Antônio Buainain. “A rastreabilidade na agricultura é algo que a indústria usa há muito tempo, para fins de controle do processo produtivo. Monitoramento, certificação e rastreabilidade são instrumentos de comunicação complexos, pois fazem parte do processo de disputa de mercados”.

O economista destaca que o Brasil possui uma base de informação de qualidade sobre a agricultura. Porém, acredita que deve haver um fortalecimento das instituições por trás dos processos de certificação, rastreabilidade e monitoramento. “São as instituições que vão assegurar o desenvolvimento dessas ferramentas e é isso que vai nos permitir ganhar espaço no Brasil e no exterior, devido à credibilidade que as instituições promovem”.

Ferramentas que auxiliem no diálogo entre produtor e consumidor são fundamentais na atualidade, devido à complexidade dessa relação, segundo o engenheiro agrônomo Paulo Romano. “O nosso grande desafio nesse momento é entender essa complexidade para fazermos diálogos permanentes e mutantes entre consumidor e produtor. Estamos lidando com uma linha objetiva na rastreabilidade e no monitoramento. Quando chegamos em cidadania, trabalhamos com humanidade, subjetividade. Precisamos criar ambientes de pactuação permanente, para que se crie uma relação com ganhos para produtores e consumidores”.

Romano defende, ainda, que esse diálogo constante pelo ponto de vista dos produtores, necessita de uma base institucional forte, que estimule a geração de confiança, fidelidade e empatia no mercado consumidor. “A empatia seria o enraizamento entre a base de produção ecológica e os consumidores, encurtando o caminho e criando um diálogo permanente entre eles”.

Para os palestrantes, rastreabilidade, monitoramento e certificação são elementos fundamentais para o sucesso da comunicação entre o campo e os consumidores de produtos com origem rural. Esses instrumentos são os responsáveis pela construção de indicadores que contribuem para o desenvolvimento sustentável do país, levando em conta as necessidades das gerações futuras.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo