Tropical Academy: os desafios e o caminho para a implantação de projeto global

Atualizado: 22 de set. de 2021



O compartilhamento de experiências e tecnologias em regiões tropicais é a base do projeto da Tropical Academy, um projeto global que visa ampliar a produção de conhecimento para a fundamentação científica e para a formação básica destinadas a alavancar o desenvolvimento da Bioeconomia Tropical Sustentável.

A produção de conhecimento articulada com a visão de desenvolvimento com foco em biomas específicos é uma experiência inédita. Essa proposta baseia-se no conceito de educação aberta, cujos trabalhos serão caracterizados pelo esforço colaborativo, via organização de redes. Esse esforço deve compreender as necessidades desde a agricultura até a indústria, envolvendo o consumidor final, através de ferramentas de monitoramento e controle dos processos produtivos.

Esse foi o mote de um dos debates do “Seminário Internacional Os Desafios da Ciência em Novo Pacto Global do Alimento”, promovido no âmbito do projeto Biomas Tropicais, do Instituto Fórum do Futuro.

“Quando começamos a pensar essa ideia da Tropical Academy listamos as premissas básicas, como a falta de síntese e agregação para os conhecimentos técnicos já adquiridos, a necessidade da geração de novos conhecimento e o estimulo da criação do trabalho em redes. Além disso, temos que colocar a ciência como base para a produção de alimentos sustentáveis e melhorar sua comunicação com a sociedade”, explica o representante da ESALQ/USP, Ruy Caldas.

Para ele, a experiência do Brasil na produção de alimentos nos trópicos pode ser muito importante para o compartilhamento dos conhecimentos com outras nações. “Temos um papel fundamental nesse processo de trocas de tecnologias com países como a África, por exemplo”.

Visão internacional

Destacando as experiências de sucesso do país na produção de alimentos, o professor emérito da Universidade da Califórnia, em Davis (EUA), Roberto Sainz, relembrou o desafio do país, nos anos 70, quando o Brasil ainda era um país importador de alimentos. “Nessa época, as tecnologias dos países de clima temperado foram trazidas para o país, mas não eram facilmente aplicadas, devidos as grandes diferenças nas características do Brasil. Temos no Brasil uma história de sucesso, que contou com o apoio de iniciativas públicas e de empresas, para o desenvolvimento do agronegócio nacional”.

Em sua opinião, Sainz acredita que esse projeto precisa se basear no ecossistema da inovação, buscando gerar conhecimento, por meio de pesquisas e de novas tecnologias; difusão do conhecimento, pela educação – em todos os níveis; a interação com o setor produtivo, por meio da identificação de demandas e parcerias público privada e principalmente, pelo conceito de coopetition: “aqui temos a cooperação de universidades e da inciativa privada para o desenvolvimento de uma solução tecnológica, por meio de uma inovação aberta, entre a pesquisa nacional e a internacional. Com o desenvolver da tecnologia essa relação se torna competitiva, trazendo benefícios para o mercado”, explicou.

Com um olhar de fora do Brasil, o representante da Wageningen University, Paul Geurts ressaltou que, em sua opinião, o projeto deve se preocupar não apenas na segurança alimentar, mas também com a nutrição. “Se olharmos os números da fome e da pobreza no mundo, mesmo com o aumento da produção de alimentos, não temos reduções significativas. Acredito que, além de olhar para essa questão, a ação deve se aproximar dos jovens e ter deles um feedback do que entendem para o futuro, já que serão os líderes”, afirmou.

Para finalizar, o educador, Claudio Moura Castro destacou a importância de se criar uma instituição para promover essa troca de maneira efetiva. “Muito difícil imaginar colocar isso tudo em prática sem uma organização formalizada e a formação de redes. É necessário que tenhamos um objetivo claro e realista, além da flexibilização para responder os problemas que estão diante de nós. Devemos nos focar em investir o dinheiro em atividades e não em edificações físicas”.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo