top of page

Workshop Regenera Cerrado promoveu o debate sobre agricultura regenerativa em Goiás


O 1º Workshop Regenera Cerrado reuniu produtores, pesquisadores, estudantes e representantes da sociedade para debater a agricultura regenerativa que vem sendo realizada em fazendas produtoras de soja e milho no sudoeste do estado de Goiás, na região Centro-Oeste do Brasil.


Promovido no dia 24 de agosto no auditório da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Rio Verde (ACIRV), o evento marcou o lançamento oficial do projeto Regenera Cerrado, que foi iniciado em outubro de 2022. O workshop foi transmitido ao vivo e a gravação pode ser conferida


Após a abertura oficial do evento, a Dra. Eliana Fontes, pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, fez uma breve apresentação do projeto e compartilhou os resultados preliminares das pesquisas realizadas nas fazendas participantes que totalizam uma área de 1.614,98 hectares pesquisados.


“Nós encontramos uma abundância de insetos indicadores de boa qualidade de solos e de insetos predadores. Verificamos também que há uma tendência nos sistemas onde são aplicados inseticidas biológicos de ter uma maior estabilidade no manejo de insetos, menos ocorrência de surtos populacionais”, relata a pesquisadora.


Ela acrescenta que foi feito o mapeamento dos custos de produção e rentabilidade da produção

de soja, analisados sete atributos microbiológicos e atributos físicos para variar a qualidade de solos. Foi feito o levantamento da diversidade de nematoides, bactérias, fungos de solos e de fitopatógenos da raiz e da parte aérea da planta da soja, além de medidas as frações do carbono

orgânico.


Referentes à safra de soja 2022/2023, os primeiros resultados das pesquisas divulgados durante o workshop foram debatidos e compilados entre os pesquisadores nas reuniões técnicas do projeto Regenera Cerrado, realizadas nos dias 22 e 23 de agosto no auditório do Grupo Associado de Pesquisa do Sudoeste Goiano (GAPES), em Rio Verde. Os resultados da safra de milho estão em fase de conclusão.


Para Ingrid Graziano, gerente de Soluções de Sustentabilidade da Cargill, é fundamental o compartilhamento dos resultados preliminares do Regenera Cerrado, o que possibilita o entendimento dos primeiros impactos do projeto. Ela afirma que o momento é de recalibrar ponteiros, sejam as metodologias ou os objetivos estabelecidos, uma oportunidade de olhar o que passou, mas também refletir e planejar o que está por vir nas próximas safras.


“Esperamos ter dados sólidos e concisos para basear a nossa tomada de decisão e para promover a agricultura regenerativa, que contribui para sistemas mais resilientes, eficientes e sustentáveis. São sistemas que vão ajudar os produtores a prosperarem, enfrentando os desafios como as mudanças climáticas e as tendências de mercado”, pontua Ingrid Graziano.


Programação


Um dos painéis mais debatidos foi o que abordou os aspectos científico, ambiental, socioeconômico, regulamentar e político da agricultura regenerativa. Tendências de sustentabilidade no mercado de alimentos e biocombustíveis foi o tema da palestra de encerramento conduzida pela Cargill. A programação também contou com um momento de diálogo com a sociedade e de compartilhamento de experiências práticas vivenciadas por produtores que fazem parte do Regenera Cerrado.


“Estamos muito felizes em fazer parte do projeto Regenera Cerrado. Queremos deixar algum legado, um bônus e não um ônus para as próximas gerações. Por isso, estamos empenhados em

identificar as práticas sustentáveis que funcionam, compartilhando conhecimento com outros produtores e contando com o suporte da pesquisa científica que vem para validar os processos já em andamento nas propriedades”, destaca o produtor Erick Van Den Broek, da Fazenda Tropical, localizada em Montividiu.


De acordo com o Dr. José Oswaldo de Siqueira, membro da diretoria executiva do Instituto Fórum do Futuro, o 1º Workshop Regenera Cerrado é a evidência da materialização de um conjunto de ideias que foram amplamente debatidas e que permitiram a concepção do projeto.


“Estamos vivenciando um processo de aprendizado muito importante. Enquanto a academia traz o conhecimento e os métodos, os produtores trazem a experiência prática, o entusiasmo e a demanda para a aplicação desses novos conhecimentos. É um movimento que nos mostra que podemos ir além para construir um futuro ainda melhor. Produzir enquanto se regenera é uma utopia que está se realizando”, afirma o pesquisador.


Sobre o projeto


O Regenera Cerrado tem como objetivo disseminar técnicas de agricultura regenerativa, respaldadas cientificamente e que sirvam de exemplo escalável de produção de soja e milho para o Brasil e para o mundo.


Criado no Instituto Fórum do Futuro, em 2022, o Regenera Cerrado conta com o patrocínio da Cargill, execução operacional do Instituto BioSistêmico (IBS) e parceria de 10 instituições nacionais e 12 fazendas da região no entorno do município de Rio Verde, no sudoeste de Goiás.


As instituições parceiras no projeto são a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), o Grupo Associado de Agricultura Sustentável (GAAS), o Grupo Associado de Pesquisa do Sudoeste Goiano (GAPES), o Instituto Federal Goiano, a Universidade Federal de Lavras (UFLA), a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), a Universidade Federal de Viçosa (UFV), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade de Brasília (UnB).


Para mais informações sobre o projeto, acesse o site do Instituto Fórum do Futuro!

https://www.forumdofuturo.org/regenera-cerrado

33 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page