In memoriam: Prof. Alfredo Scheid Lopes

Atualizado: 22 de set. de 2021




Faleceu no último dia 23 de maio o professor e pesquisador Alfredo Scheid Lopes. Natural de Mindurí (MG), Alfredão, como era conhecido, foi uma das maiores autoridades em estudos de fertilidade de solos de Cerrados no país. As intensas pesquisas de solos de diferentes frentes proporcionaram um aumento na produtividade agrícola brasileira nos últimos 40 anos. O professor foi uma das principais fontes de pesquisa para a obra O Terceiro Salto: A história dos brasileiros que fizeram o futuro chegar, recente lançamento do Fórum do Futuro e que conta a trajetória da agricultura nos Cerrados a partir da década de 1950 aos dias atuais.

Iniciou a carreira de professor na atual Universidade Federal de Lavras (anterior Escola Superior de Agricultura de Lavras) em 1962, logo após a graduação no curso de agronomia, até sua aposentadoria na década de 1990, tornando-se professor emérito nos anos subsequentes e mantendo a assiduidade nos Campi da Universidade.

Biografia

Mineiro de Mindurí (MG), o professor Alfredo Scheid Lopes formou-se engenheiro agrônomo pela Escola Superior de Agricultura de Lavras (ESAL), em 1961, obtendo os títulos de mestre e PhD pela Universidade Estadual da Carolina do Norte, Estados Unidos (1975-1977). Desde 1962 foi professor da disciplina Fertilidade e Manejo de Solos dos Trópicos, na UFLA, pesquisador emérito do CNPq (2008) e consultor técnico da Associação Nacional para Difusão de Adubos-Anda/SP.

Entre prêmios e distinções recebidas, destacam-se: Certificado de Méritos da FAO (1976), Pesquisador do Ano pela EPAMIG (1986), professor emérito pela Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior (ABEAS) (1989); Prêmio Ceres de Produtividade Agrícola (1990); professor emérito pela ESAL (1991), Comenda Antonio Secundino de São José, outorgada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (1993); pesquisador emérito do CNPq (2008).

Em maio de 1995, o professor Alfredão recebeu, em Singapura, o Prêmio Internacional de Fertilizantes, concedido pela International Fertilizer Industry Association, com sede em Paris, concorrendo com cientistas dos países em desenvolvimento. Esse prêmio é um tributo aos seus mais de 40 anos de ensino, pesquisa e extensão e à sua contribuição para o desenvolvimento da produção agrícola na região dos Cerrados.

Em 2013 recebeu três honrarias: os prêmios Pesquisador Sênior do International Plant Nutrition Institute (IPNI); Norman Borlaug, conferido pela ABAG, Fundação Agrisus e USP; e Heróis da Revolução Verde Brasileira, outorgado pela ABAG, ANDEF, FAO-ONU e EMBRAPA.

Lopes foi autor de 86 trabalhos científicos publicados no Brasil e no exterior, 56 trabalhos publicados em congressos; nove livros, sendo três como coautor e seis como primeiro autor – entre eles o primeiro livro eletrônico em Ciência do Solo no Brasil: “Guia de Fertilidade do Solo Versão 3.0” e o “Guia de Fertilidade do Solo”, versão 4.0, atualizada e ampliada, agora em versão WEB.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo