NARRATIVAS ORGANIZADAS

Atualizado: 20 de out. de 2021





Confira o artigo completo escrito pelo Conselheiro do Fórum do Futuro, Paulo Haddad.

Ao longo dos dois próximos meses, deverá ser publicado o livro de minha autoria "Três Ensaios sobre a Economia Brasileira", em volumes separados, que traz uma síntese dos resultados de minhas experiências profissionais. Os Ensaios foram escritos sob a forma de narrativas, visando também a um público não familiarizado com análises econômicas.

Tenho procurado seguir as recomendações de Paul Krugman, Prêmio Nobel de Economia de 2008, expostas em sua coluna no jornal The New York Times: use uma linguagem simples e não pressuponha que as pessoas já entendem conceitos econômicos pouco familiares; seja honesto sobre a desonestidade que permeia o debate político; não tenha receio em abordar, de forma crítica, os assuntos controversos, as fake news e os argumentos econômicos que são elaborados de má fé; não deixe de lado a boa briga pela verdade, justiça e pelo antizumbi (ideias que já morreram e que insistem em estar entre nós); lembre-se que é legítimo que cada um possa ter suas próprias ideias, mas não os seus próprios fatos.

O primeiro Ensaio (“A Amazônia e as Ideologias Ambientalistas”) analisa a importância de se compreender a formação histórica das ideologias ambientalistas, buscando descrever o comportamento dos protagonistas, públicos e privados, quando têm de tomar alguma decisão concernente a política pública ou ao empreendedorismo privado em relação ao Meio Ambiente no Brasil, uma verdadeira introspecção sobre as suas estruturas mentais. O Ensaio se concentra nas questões da Amazônia, onde vivenciei, durante quase quatro décadas, experiências de consultoria em variados programas e projetos de desenvolvimento sustentável da Região, além de ser o Bioma que mais tem causado preocupação à opinião pública nacional e internacional quanto ao uso predatório de seus recursos naturais.

O segundo Ensaio procura explicar como as regiões se desenvolvem no Brasil. (“Como as Regiões se Desenvolvem – Narrativas”). Destaco, particularmente, as regiões que cresceram com base em recursos naturais (áreas de mineração, áreas do agronegócio), as regiões que atraíram polos de desenvolvimento, as regiões que se desenvolveram a partir de economias de aglomeração. Novamente, o critério predominante para a seleção dos casos ilustrativos foi o das áreas geográficas em que tive experiências de trabalho de campo nas diferentes macrorregiões brasileiras, convivendo com as lideranças políticas e comunitárias locais.

O terceiro Ensaio ("Planejamento e Políticas Públicas no Brasil ") tem por objetivo resgatar as experiências de planejamento econômico e das políticas públicas no Brasil, a partir da II Grande Guerra, assim como destacar a falsa controvérsia entre planos e mercados, no presente e no futuro do Capitalismo. Neste Ensaio, há um destaque particular para as experiências de planejamento estadual, desde o início dos anos 1960, tomando o caso de Minas Gerais como referência maior.

Os Ensaios foram escritos durante o período de isolamento social, na pandemia da COVID-19. Um de meus objetivos, ao escrever o livro, foi criar valor de legado para a sociedade, a partir de minhas experiências profissionais. Pois, como disse Olavo Bilac: “Os livros não matam a fome, não suprimem a miséria, não acabam com as desigualdades e com as injustiças do Mundo, mas consolam as almas e fazem sonhar”.

Paulo R. Haddad é professor emérito da UFMG. Foi Ministro do Planejamento e da Fazenda no Governo Itamar Franco.

Texto originalmente publicado no jornal O Tempo em 08/07/2021

1 visualização0 comentário